loading...

Wenceslao-Moguel-Herrera-o-homem-que-sobreviveu-ao-fuzilamento-homem-fuzilado-escapou-com-vida-

Conheça a impressionante história de Wenceslao Moguel Herrera, o homem que enfrentou um pelotão de fuzilamento, tomou 9 tiros e mesmo assim sobreviveu.

Em 1937, Robert L. Ripley, conhecido como o Rei das curiosidades e histórias assustadoras, levou ao seu bem-sucedido programa de rádio na NBC “Ripley Believe It or Not!” (Embora você não acredite) o homem que foi considerado como o único humano conhecido que tinha sido fuzilado, tendo recebido oito balas e mais uma como “golpe de misericórdia” no pescoço e ainda tinha sobrevivido.

Tratava-se de Wenceslao Moguel Herrera, um homem com a face totalmente desfigurado e que carecia de mandíbula, tornando o seu queixo afundado. Após ficar em frente ao pedestal do microfone e ser apresentado por Ripley, começou a contar a história surpreendente que havia acontecido com ele duas décadas atrás, quando ainda era um jovem adolescente. O relato remonta ao período mais turbulento da Revolução Mexicana. Wenceslao, originário de Halachó, na Península de Yucatán se alistou para lutar nas tropas rebeldes contra as forças federais.

Wenceslao-Moguel-Herrera-o-homem-que-sobreviveu-ao-fuzilamento-homem-fuzilado-escapou-com-vida-1

Em 16 de março de 1915, os revolucionários foram esmagados pelo exército nacional que os triplicava em tamanho, matando um grande número de rebeldes, sendo a maioria deles jovens.

Aqueles que conseguiram sair vivos foram presos e submetidos a um julgamento sumário, que durou pouco mais de meia hora, sendo condenados a morrer. Para apressar a execução dos rebeldes optou-se por enforcar boa parte e fuzilar o resto.

Wenceslao foi posto em frente a um pelotão de fuzilamento na rodada final. Após a ordem de fogo, seu corpo foi atingido por oito balas uma vez na terra, veio o “golpe de misericórdia”. O tiro que geralmente é dado para garantir que nenhum dos executados fique com vida. Mas apesar dos nove ferimentos a bala não morreu. Ele estava apenas desmaiado junto de outros cadáveres, já que acreditava-se que ele era apenas mais um dos mortos.

Uma ordem recebida pelo comando do exército para retirar-se da região fez com os corpos dos executados fossem abandonados sem enterrar. Na madrugada Wenceslao acordou de seu desmaio e gravemente ferido arrastou-se até uma casa nas proximidades, onde foi tratado e chamaram o médico local com urgência.

Nenhuma das balas havia atingido nenhum órgão vital e a trajetória do golpe de misericórdia não adentrou pelo pescoço, mas foi desviado pela a mandíbula, deixando-a completamente destruída.

Depois de um longo período de recuperação, em que estava escondido para evitar ser capturado pelas forças do governo, o jovem Wenceslao deixou Campeche, cidade onde ele estava e perdeu-se qualquer notícia dele até meados dos anos trinta quando sua incrível história tornou-se conhecida e chegou aos ouvidos de Robert L. Ripley, que, além do programa de rádio tinha criado um famoso museu onde recolheu tudo de surpreendente que ele encontrou ao redor do planeta.

Por um tempo, ‘o fuzilado de Halachó ‘, como era conhecido Wenceslao Moguel, dedicou-se a dar entrevistas e a visitar algumas cidades americanas explicando sua história impressionante em teatros e cafés.

Depois disso, pouco se soube de sua vida posterior. Algumas fontes indicam que morreu aos 70 anos de idade e outras 85, mas não fornecem mais dados sobre este personagem que se tornou famoso por voltar a vida dentre os mortos.

Elisandro

Recomendados para você:

Comentar com o Facebook

Comentários...